quinta-feira, 15 de junho de 2017

Casino Estoril inaugura na Galeria de Arte “A Revolução dos Beijos” de Renato Rodyner

A Galeria de Arte do Casino Estoril inaugura, no próximo dia 22 de Junho, às 21h30, a exposição “A Revolução dos Beijos”, da autoria do luso-brasileiro Renato Rodyner. O artista nasceu em 1962, em Porto Alegre, Rio Grande do Sul, Brasil e desde 1980, escolheu Cascais para trabalhar e residir.

“Renato Rodyner é um ser humano afável, que tem na simpatia um dos seus grandes trunfos, estando sempre pronto a ajudar o próximo”, sublinha Nuno Lima de Carvalho, Director da Galeria de Arte.

“Nas Artes é um trabalhador nato e o seu contacto com grandes artistas brasileiros e portugueses tem-no ajudado muito na sua evolução. A “paleta” do Renato é riquíssima, recolhida das cores do Brasil e Portugal, que utiliza com saber e com apontamentos expressionistas líricos”, conclui Nuno Lima de Carvalho.

A Galeria de Arte do Casino Estoril acolhe, assim, a exposição “A Revolução dos Beijos”, na qual Renato Rodyner comemora, precisamente, 40 anos da sua já notável carreira artística.

quinta-feira, 8 de junho de 2017

S.O.S. Operação Bikini - O PLANO DE 31 DIAS PARA OBTER UMA BARRIGA FIRME

Barriga Fit não é um guia de atividade física, nem um manual de dieta, mas um diário de saúde e de boa forma que, uma vez seguido ao longo de um mês, lhe vai trazer resultados surpreendentes e duradouros, com um corpo mais bonito e uma barriga verdadeiramente fit.

Izabel de Paula traz-nos uma massagem específica por dia, para aplicar a si própria e também uma «mezinha» de fácil preparação. Esta combinação arrasadora irá fazer com que perca rapidamente volume abdominal e favoreça a oxigenação das células, eliminando toxinas, tonificando os músculos e, em pouco tempo, começar a perder barriga. Barriga Fit ensina-lhe também os exercícios físicos mais eficazes para fortalecer os músculos abdominais, que poderá executar com facilidade em qualquer sítio.

E, para que se sinta acompanhada e com uma motivação acrescida, encontrará um mapa dos seus treinos diários e uma grelha para preencher com informações sobre o que põe no prato.


«Sei que este livro vos vai ajudar a atravessar o "deserto das gorduras localizadas". Isto vindo de uma mulher magra pode soar a disparate, mas a flacidez e a celulite afetam todas as mulheres – e eu não sou exceção.»

Ana Sofia Martins, atriz

terça-feira, 6 de junho de 2017

Curar sem medicamentos - Tâmara Castelo

Quantas vezes é que, ao primeiro sintoma de febre, se medica uma criança com paracetamol ou ibuprofeno quando há outras soluções tão ou mais eficazes e, ainda por cima, sem efeitos secundários a médio e longo prazo?

Por que razão se toma tantos anti-histamínicos sem ter em conta que a alimentação é absolutamente determinante para prevenir as alergias, nomeadamente se tivermos cuidado com os lacticínios e o glúten? Isto já para não falar das infeções urinárias ou das gastroenterites, que acabam por nos levar a um círculo vicioso de tomas de antibióticos quando isso é perfeitamente evitável?

O pêssego, o pepino, os cogumelos, o cravinho, o tomilho, a cera de abelhas, as infusões das mais diversas plantas, entre centenas de outros produtos, têm propriedades medicinais que nos ajudam a prevenir e resolver numerosos problemas de saúde, como rinite, laringite, otite, vários tipos de tosse, eczema, má circulação, obstipação, enjoos, complicações do foro digestivo, etc., etc., etc...

«Há muitas patologias, sobretudo as que podem ser mortais, em que a medicina e a farmacologia convencionais continuam a ser uma opção para mim, seja como profissional, como paciente ou como mãe. É também por isso que sigo à risca o plano nacional de vacinação. Mas há uma série de doenças comuns em que os químicos estão longe de constituir as ferramentas mais indicadas para as combater. Ao longo da minha prática clínica, graças aos meus conhecimentos de Medicina Tradicional Chinesa e Homeopatia, pude comprovar que a maioria dos medicamentos podem ser evitados se optarmos por uma alimentação saudável e se recorremos a soluções cem por cento naturais. É essa experiência que partilho consigo neste livro prático, que poderá consultar para se prevenir, mas também em caso de S.O.S.» Tâmara Castelo

segunda-feira, 5 de junho de 2017

BUONDI desenvolve torre de vigia em parceria com o ISN

No âmbito da parceria entre a Nestlé Portugal e a Direção Geral da Autoridade Marítima (DGAM), iniciada em 2016, que tem por objetivo a implementação do projeto da marca portuguesa de cafés torrados, BUONDI, denominado “Expressa-te em Segurança”, foi desenvolvida a propósito da celebração dos 125 anos do Instituto de Socorros a Náufragos (ISN), uma torre de vigia inovadora para os Nadadores Salvadores.

Esta nova torre de vigia, de 4 metros, construída em aço lacado e polietileno, material que possui excelentes qualidades de resistência estrutural e ao impacto, será colocada em três das mais frequentadas praias do país: Praia dos Salgados – Albufeira; Praia da Morena – Costa da Caparica; Praia do Titan – Matosinhos. O posto de vigia possibilita um plano de observação mais elevado garantindo uma melhor perspetiva da área a vigiar, o que representa uma mais-valia na deteção de risco de afogamento e agilização nas operações de socorro.

Para Maria José Santos, responsável da Nestlé, “este é um projeto que faz todo o sentido para BUONDI – marca que está desde sempre ligada às praias portuguesas e que assim vai ajudar a proporcionar um verão mais seguro a quem quer aproveitar a praia, o calor e as ondas de forma intensa”.

Como refere o Vice-Almirante Luís Carlos de Sousa Pereira, Diretor-Geral da Autoridade Marítima, “a instalação deste posto de vigia em praias vigiadas possibilita um incremento significativo na melhoria das condições de segurança para os utentes das zonas balneares, sendo esta a nossa principal preocupação durante a época balnear, é também um equipamento facilitador do trabalho diário dos nossos Nadadores Salvadores”.

A parceria entre a DGAM e a Nestlé Portugal, com duração de 3 anos, visa apoiar o ISN com ações de sensibilização e atividades inovadoras que prometem alertar e sensibilizar as pessoas para os cuidados que devem ter e, desse modo, ajudar a salvar vidas. De entre as inúmeras atividades previstas no âmbito deste protocolo, de destacar também as cadeiras dos Nadadores Salvadores, autênticos safespots, que proporcionam melhores condições a estes profissionais (colocadas em 31 praias pelo país), bem como as ações de sensibilização com o tema “Respeitar os avisos é viver intensamente” que visam valorizar o trabalho dos Nadadores Salvadores e o respeito pelos mesmos enquanto autoridade de segurança na praia. Estas ações terão lugar no decorrer do mês de agosto em praias de norte a sul do país.

A banda Tamla propõe noites de música ao vivo no Arena Lounge do Casino Lisboa

As noites de animação no Casino Lisboa distinguem-se pelas renovadas sugestões de música ao vivo. Inspirada no som da Motown, a banda Tamla sobe ao palco multiusos do Arena Lounge na próxima Quarta-Feira, dia 7. Com entrada livre, o ciclo de actuações prolonga-se até dia 10 de Junho.

Desta sua essência, o estilo perdura na “alma” característica à sua representação. O som da Motown apresenta-se ao público como título de criação de três performers sincrónicos, evocando os mentores e sucessores desta vibração musical única.

Num aguardado reencontro com os visitantes do Casino Lisboa, a banda Tamla propõe um ciclo de actuações muito dinâmico. A vocalista Elisabete Brás partilha o palco com André Mendes nas teclas, e João Colaço na bateria.


Programação da banda Tamla

Quarta-Feira, dia 7 de Junho: 22h00 às 22h50 e das 23h10 às 00h00

Quinta-Feira, dia 8 de Junho: 20h30 às 21h20 e das 23h20 às 00h10

Sexta-Feira, dia 9 de Junho: 20h30 às 21h20 e das 23h20 às 00h10

Sábado, dia 10 de Junho: 20h30 às 21h20 e das 23h20 às 00h10



As noites de música ao vivo continuam em destaque no Casino Lisboa que recebe, de Quarta-Feira a Sábado, um elenco de jovens bandas nacionais. Com entrada livre, a não perder, no Arena Lounge.


Por imperativo legal, o acesso aos espaços do Casino Lisboa é reservado a maioresde 18 anos.

VINHOS CONTEMPORAL RECEBEM PRÉMIO INÉDITO PARA VINHOS PORTUGUESES



Vinhos portugueses em destaque

VINHOS CONTEMPORAL RECEBEM PRÉMIO INÉDITO PARA VINHOS PORTUGUESES


Os vinhos Contemporal, a marca exclusiva do Continente, acabam de receber mais uma distinção internacional. Trata-se do prémio “Salute to Excellence Wine Awards”, da PLMA – Private Label Manufaturers Association, que faz dos vinhos Contemporal os primeiros vinhos portugueses a conquistarem esta distinção, que é exclusivamente atribuída a vinhos de marca própria.


O “Contemporal Selection, Sandra Tavares da Silva, Tinto DOC Douro 2014”, “Contemporal Loureiro Branco Doc Vinho Verde 2016” e o “Contemporal Vinho do Porto 20 anos”, foram os vinhos vencedores da Categoria Special Selection. Os três vinhos foram escolhidos entre 300 referências, de 36 retalhistas, provenientes de 15 países que, depois de divididos em 23 categorias, foram avaliados por um grupo de juízes composto por masters of wine, jornalistas especializados, sommeliers e peritos de retalho. 


Este prémio reconhece o equilíbrio do vinho tinto da região do Douro e a estrutura completa do Vinho do Porto, assim como a frescura refinada do Vinho Verde Loureiro. A marca de vinhos Contemporal procura oferecer os melhores vinhos de cada região, sempre com a melhor relação qualidade/preço, o que foi um dos pontos valorizados pelo painel de juízes. Esta conquista demonstra o potencial da marca Contemporal na promoção dos vinhos e regiões vitivinícolas nacionais, que se destacam pela qualidade e variedade.

Desde 2013, os vinhos Contemporal já contam com mais de 200 medalhas conquistadas em concursos nacionais e internacionais.


PLMA – Private Label Manufaturers Association, é uma organização sem fins lucrativos, fundada em 1979, com o objetivo de promover as marcas privadas. É a única organização deste género a representar mais de 4.000 empresas privadas de todo o mundo.

Jardim de Verão │23 junho a 20 julho│ Fundação Calouste Gulbenkian



Concertos, filmes, leituras encenadas, conversas e atividades para famílias, entre outras iniciativas, preenchem o programa da 2ª edição do Jardim de Verão, na Fundação Calouste Gulbenkian. No âmbito do Centenário da Grande Guerra, também estão programados vários eventos para refletir sobre os impactos socioculturais do conflito em Portugal.



Jane Birkin (a cantar Serge Gainsbourg), Roberta Sá, Mayra Andrade e Bonga são alguns dos artistas que marcam o programa do Jardim de Verão deste ano. Depois do sucesso da 1ª edição, que em 2016 assinalou o 60º aniversário da Fundação Calouste Gulbenkian, uma grande diversidade de iniciativas volta a animar o jardim e outros espaços da Fundação, ao longo de quase um mês, com a programação a intensificar-se aos fins-de-semana. Concertos, filmes, conferências, exposições e visitas orientadas, leituras encenadas, conversas, workshops e outras atividades para famílias, preenchem o programa que reflete a intervenção multifacetada da Fundação Gulbenkian, não apenas no campo das artes, mas também na ciência e nos projetos comunitários que apoia e promove.



VOZES LUSÓFONAS E SONS DO MÉDIO-ORIENTE

No arranque do Jardim de Verão, recebemos um dos maiores talentos da nova música brasileira: Roberta Sá (24 junho). Muitas vezes comparada a Marisa Monte, diz-se influenciada por figuras como Gilberto Gil, Caetano Veloso, Elis Regina e Chico Buarque. Regressa a Portugal, para mais uma das suas atuações cativantes no Anfiteatro ao ar livre da Fundação Gulbenkian. No repertório traz temas do último álbum, Delírio, para o qual gravou, também, com António Zambujo. O concerto de Roberta Sá inaugura assim no Jardim de Verão um ciclo de grandes nomes da música lusófona como a cabo-verdiana Mayra Andrade (25 junho) e a sua pop tropical, o lendário Bonga (30 de junho) e o seu amor pelo semba, símbolo da identidade angolana que deu origem à kizomba, e ainda a guineense Eneida Marta (15 julho), que cruza o gumbé com o jazz, para animar as noites no Jardim Gulbenkian.



No dia em que os franceses comemoram a Tomada da Bastilha, a 14 julho, estreia-se em Portugal, no Jardim Gulbenkian, o espetáculo Birkin: Gainsbourg Sinfónico. Neste concerto, Jane Birkin revisita em versão sinfónica os clássicos do ex-companheiro Serge Gainsbourg, falecido em 1991. Do repertório fazem parte duas dezenas de temas, como La Javanaise, Jane B, Babe Alone in Babylone, La Chanson de Prévert, Requiem pour un con, Initiales BB, My Lady Heroine ou Lost Song, que a artista britânica vai interpretar na companhia do pianista japonês Nobuyuki Nakajima e da Orquestra Gulbenkian, dirigida por Jan Wierzba.



Até 20 de julho, haverá mais música no Jardim de Verão, onde também se farão ouvir sonoridades do Médio-Oriente, com o projeto Cairo Jazz Station (29 junho), que junta jovens do Egito, da Turquia, de Portugal e de Itália, mas também The Secret Trio (7 julho), que traz ao Jardim Gulbenkian os modos microtonais do Médio Oriente, as batidas de dança dos Balcãs, e improvisações e influências do jazz, do rock e da música clássica.



A GULBENKIAN E O CINEMA PORTUGUÊS

O Jardim de Verão inclui uma mostra de filmes de cineastas portugueses, que contaram com o apoio da Fundação Gulbenkian, sobretudo na última década. Em junho e julho, serão projetados filmes de Filipa César, Filipa Reis, Gabriel Abrantes (em colaboração com Ben Rivers), João Miller Guerra, João Niza, João Pedro Rodrigues, João Salaviza, João Viana, Leonor Noivo, Leonor Teles, Marco Martins, Miguel Gomes, Patrick Mendes, Pedro Peralta, Pedro Pinho, Sérgio da Costa (em colaboração com Maya Cosa), Susana Nobre e Tomás Baltazar.



Comissariado por Miguel Valverde, o ciclo “A Gulbenkian e o Cinema Português” abre com o filme Twenty-one-Twelve, um projeto criado por Marco Martins em coautoria com o artista plástico Michelangelo Pistoletto, que reflete sobre a crise e o papel transformador que a arte pode assumir na sociedade.



Conversas no jardim (Speaker’s Corner), leituras encenadas, workshops e outras atividades para famílias entram também no Jardim de Verão, que terminará a 20 de julho, Dia Calouste Gulbenkian. Neste dia, para além da entrega dos Prémios Gulbenkian, a Orquestra Gulbenkian, no Anfiteatro ao ar livre, e Gisela João, no Grande Auditório, protagonizam os dois concertos de encerramento do Jardim de Verão, ambos de entrada gratuita.



A GRANDE GUERRA

Este verão, a Fundação Gulbenkian associa-se aos eventos que assinalam o centenário da guerra de 1914-1918, trazendo à reflexão uma perspetiva cultural e social do impacto que o conflito teve em Portugal. A participação de Portugal na Grande Guerra não foi apenas um ato político e militar. O país sofreu efeitos económicos, sociais e culturais que se refletiram no quotidiano dos portugueses e na sua relação com o exterior. São esses efeitos que se pretendem mostrar e debater, com a exposição ‘Tudo se desmorona’: Impactos Culturais da Grande Guerra em Portugal, a partir de 30 junho, com o colóquio ‘Ninguém sabe que coisa quer’: a Grande Guerra e a Crise dos Cânones Culturais Portugueses (28 a 30 de junho), com o ciclo de cinema Imagens da Grande Guerra e com a leitura encenada do texto Pra um país tão pequeno, entre outras iniciativas, de entrada livre.





Jardim de Verão

23 junho a 20 julho 2017

Fundação Calouste Gulbenkian



Programação completa: gulbenkian.pt/jardimdeverao/

sábado, 20 de maio de 2017

Noite de fado no Casino Estoril com Margarida Soeiro e António Pelarigo


É já na próxima Quarta-Feira, 24 de Maio, a partir das 22 horas, que Margarida Soeiro e António Pelarigo se apresentam no Lounge D para protagonizar mais uma noite dedicada ao fado. Com um enquadramento intimista, esta experiente dupla de intérpretes será acompanhada por Diogo Lucena Quadros e Bernardo Romão, nas guitarras, e Luis Roquette, na viola. A entrada é livre.


António Pelarigo

Um nome familiar a muita gente, mas até agora havia muito poucas gravações suas. António Pelarigo, 61 anos, deambula pelo fado com devoção há décadas, mas tem deixado cair muitas hipóteses (e algumas bem sérias foram) de gravar discos ou de se tornar fadista profissional. Tinha a sua vida, a sua família, o seu trabalho, o resto era, apenas, amor ao canto. Fadistices, como ele diz, com uma ponta de ironia e sem menosprezo. Até que um vizinho ribatejano o convenceu agora a gravar. Músico, também com uma editora, insistiu e ele cedeu. O vizinho é José Cid.











Margarida Soeiro

Margarida Soeiro representa uma das formas mais genuínas e carismáticas que o fado tem. Primeiro as tertúlias, os grupos de amigos depois as casas de fado, mas aquelas casas de fado onde a canção de Lisboa se canta de uma forma livre e espontânea. O seu repertório revisita alguns dos nomes mais importantes da história do Fado, sejam eles os intérpretes, os poetas e os compositores, defendidos com uma capacidade de interpretação única, sem invenções, de uma forma simples e linear mas tão contagiante, como é a própria canção de Lisboa.

Com um cartaz sempre renovado, o ciclo de noites de fado continua em destaque, às Quartas-Feiras, no Lounge D do Casino Estoril. Carmo Moniz Pereira e Gonçalo Castelbranco serão os protagonistas no próximo dia 31 de Maio.




Por imperativo legal, o acesso aos espaços do Casino Estoril é reservado a maioresde 18 anos.

sexta-feira, 19 de maio de 2017

Casino Estoril inaugura na Galeria de Arte XXX Salão de Primavera

Inaugura-se no próximo dia 27 de Maio, às 17 horas, na Galeria de Arte do Casino Estoril, o XXX Salão de Primavera/Prémio Rainha Isabel de Bragança, na qual participam finalistas das faculdades de Belas Artes de Lisboa e Porto, escolhidos pelos seus professores.

Nesta 30ª edição do Salão de Primavera participam os seguintes artistas: Ana Garcia Mascarenhas, Ana Pelayo Henriques, Ana Rita Sobreira, Bruno Ferraz, Francisca Pinto, Henrique Palmeirim Lázaro, JDAGGE, Joana Passos. João Maria Pacheco, João Ribeiro, Leonor Saunders, Maria Inês Melo, Maria João Ferreira, Maria Luzia Cunha, Mariana Teotónio, Natacha Marques de Oliveira, Nathalie João, Nicoleta Sandulescu, Raquel Oliveira, Ricardo Marcelino e Rui Neiva.

Esta exposição está dotada de um prémio/aquisição, Prémio Rainha Isabel de Bragança, no valor de 1500 euros, patrocinado pela Estoril Sol, que o júri atribuiu à estudante finalista da Faculdade das Belas Artes de Lisboa, Nicoleta Sandulescu, natural de Orhei, Moldávia. Foram atribuídos, ainda, cinco menções honrosas aos seguintes finalistas: Ana Pelayo Henriques, natural do Porto; Maria Luzia Cunha, do Porto; Nathalie João, de Paris, França; Raquel Oliveira, da Póvoa de Varzim e Rui Neiva, de Sintra.

“Pelos 30 Salões de Primavera já realizados, passaram até hoje um total de 1005 jovens artistas, muitos dos quais foram distinguidos com prémios e menções honrosas e que hoje ocupam lugares de relevo, inclusivamente como professores de escolas superiores de Belas Artes ou integrando, em exclusivo, o escol de artistas de importantes galerias”, sublinha Nuno Lima de Carvalho Director da Galeria de Arte do Casino Estoril.


Esta exposição ficará patente ao público até ao dia 19 de Junho, todos os dias, das 15 às 24 horas. Por imperativo legal, o acesso aos espaços do Casino Estoril é reservado a maiores de 18 anos.

terça-feira, 9 de maio de 2017

Casino Estoril recebe no Salão Preto e Prata musical Mary Poppins da Alma Studio


O Salão Preto e Prata do Casino Estoril acolhe, nos próximos dias 12 e 13 de Junho, às 18 horas, o novo musical Mary Poppins, da autoria da Alma Studio, de Vera Alves.

Trata-se de uma dupla sessão de espectáculos, de vertente solidária, que apoia o projecto do Butterfly - Art Studio & After School Activities, no Cambodja.

Mary Poppins é um Musical praticamente perfeito! Baseado no livro de P.L. Travers de 1934, e no subsequente premiado filme musical da Walt Disney de 1964, Alma Studio, de Vera Alves, apresenta um Novo Musical, onde Mary Poppins nos ensina que “Se quisermos, tudo pode acontecer!”

No musical, Bert, homem de vários ofícios, como limpa-chaminés e artista de rua, convida-nos a entrar na carismática Londres de 1910 e, mais especificamente, na casa dos Banks. Uma família disfuncional, onde os filhos (Jane, Emily, Laura, Alice, Kelly, Emma, Tom, Michael e Jody) acabam de provocar a demissão de mais uma ama (Katie Nanna), justificando tratarem-se de crianças irremediavelmente mimadas e mal comportadas. Com um pai banqueiro (George Banks) dedicado apenas ao trabalho e uma mãe (Winifred Banks) distraída e voltada para a defesa dos direitos das mulheres, as crianças estão carentes, e contam apenas com a atenção das sucessivas amas e das dedicadas empregadas da casa (Cook e Housekeeper).

Um dia, em resposta a um anúncio redigido pelos próprios filhos, surge dos céus a voar com o seu guarda-chuva, uma nova e mágica ama, Mary Poppins. Ela e o seu amigo Bert vão guiar as crianças ao longo de uma viagem de aventuras mágicas e de aprendizagens.

A influência de Mary Poppins acaba por ir mais longe e ensinar aos Banks a serem uma família e a valorizarem-se uns aos outros.

Entre as sequências mais criativas, conta-se o momento em que as crianças descobrem a divertida e desconcertante palavra, cujo título da canção ficou na história, Supercalifragilisticexpialidocious.

O musical contém uma série de mensagens que se exprimem no imaginário e através da magia. Tuppence (trocos, moedas, migalhas), expressão que significa em várias cenas marcantes, como a do “Feed the birds”, que para amar não é preciso muito, e que custa tão pouco fazer a diferença na vida das pessoas …

Mary Poppins é uma mistura encantadora de uma história irresistível, com canções inesquecíveis, números de dança deslumbrantes e um elenco surpreendente. Esta é uma oportunidade perfeita para apreciar a criatividade e carisma de Vera Alves que, para além de representar Mary Poppins, assina a encenação e adaptação de um dos maiores sucessos dos espectáculos musicais.


Ficha Técnica: Direcção de Produção: Vera Alves | Assistente de Produção: Sofia Peixoto | Comunicação e Imagem: Cristina Veiga | Adaptação do Texto: Margarida Alberty | Encenação: Vera Alves | Cenografia e Efeitos visuais: Margarida Alberty e Vera Alves | Guarda-roupa: Margarida Alberty, Sónia Marques e Retrosaria Fantasia | Assistente musical: Agnès Parlange.


Interpretes: Artistas Alma Studio - Vera Alves, Paulo Chemela, Maya Attinello, António Cabral, Madalena Teixeira Bastos, Maria Castro, Romi Efrat, Filipa Craveiro, Aruna Stern, Alice Engdahl, Tomás Carvalho, Sofia Leiva, Jessica Crossland, Cosme Vega, Yulie Efrat, Kali Attinelo, Margarida Alberty, Jorge Cardoso, Tom Efrat, Nuno Teixeira Bastos, Sofia Peixoto, Matilde Veiga, Margarida Santos, Nilma Vieira, Sónia Marques, Maria Urgelles, Alexandra Brito, Inês Monteiro e Luísa Moraes. Soprano “Feed the birds”: Agnès Parlange.

Coreografia “Feed the birds”: Vera Alves, com participação da Escola de Dança Alma Studio.

Coreografia “Step in Time”: Eva Vieira de Almeida, com participação da Escola de Dança Eva Vieira de Almeida.


Coreografia “Jolly Holliday”: Nicky Hallett, com participação da Escola de Dança da Sociedade Musical de Cascais.


Alma Studio

Vera da Veiga Ventura Alves terminou o curso da Escola de Dança do Conservatório Nacional em 2003 com convite para ingressar no corpo artístico da Companhia Nacional de Bailado. Na temporada de 2011/2012 foi destacada entre os melhores 100 bailarinos do mundo por um grupo de júris internacionais na revista Dance Europe. Em 2012 ingressa na Companhia Aterballetto em Itália onde dançou sobretudo o repertório de Mauro Bigonzetti. Em 2013 regressa à Companhia Nacional de Bailado e em 2014 já como Freelancer faz uma nova criação com a Compagnie Linga de Marco Cantalupo e Katarzyna Gdaniec na Suíça. Em 2015 inaugura a sua própria Escola de Dança, Alma Studio no Monte Estoril onde lecciona e produz os seus próprios espectáculos. Dançou todo o repertório de bailado clássico e neoclássico, nomeadamente Giselle, Lago dos Cisnes, Quebra-Nozes, Bela Adormecida, Coppélia, Romeu e Julieta, Serenade e Who Cares? de George Balanchine, The Vertiginous Thrill of Exactitude de William Forsythe e Sagração da Primavera de Nijinsky. Deixa também a sua marca no bailado contemporâneo, onde colabora com coreógrafos como Olga Roriz, Rui Horta, Vasco Wellencamp, Benvindo Fonseca, Rui Lopes Graça, Mauro Bigonzetti, Cayetano Soto, Marco Cantalupo & Katargyna Gdaniec, Anne Teresa de Keersmaeker, entre outros.


Bilhetes à venda: Ticketline: www.ticketline.pt

Informações e reservas: 1820 (24h)

Pontos de venda disponíveis: Lojas Fnac, Ag. Viagens Abreu, Worten, A.B.E.P., Casino Lisboa, C.C. Dolce, C.C. Mundicenter, El Corte Inglês, Galeria Comercial Campo Pequeno, MMM Ticket e UTicketline. Preços: de 10€ a 16€. M/3.

quinta-feira, 4 de maio de 2017

Noites de Pole Dance e de Novo Circo em destaque no Casino Lisboa

Com um programa diversificado, o Casino Lisboa oferece aos seus visitantes originais espectáculos de Pole Dance e de Novo Circo no Arena Lounge. Em noite de Pole Dance, a dupla Sara e Raquel apresenta-se já no próximo Sábado, 6 de Maio, enquanto Raquel Nicoletti protagoniza, no dia 20, um original exercício de Novo Circo. Com entrada livre, a não perder, a partir das 23 horas.


Pole Dance | Sara e Raquel

Sara e Raquel são duas apaixonadas por Pole Dance! Essa paixão levou a que se juntassem para demonstrar quão longe esta arte pode chegar. As suas performances combinam tanto a dança, como as forças combinadas, flexibilidade e acrobacia.


Novo Circo | Raquel Nicoletti


Raquel Nicoletti propõe uma fusão sensível entre música, teatro e acrobacia. Raquel é actriz, acrobata e música, e expressa suas artes e inspirações no pequeno palco no Arena Lounge numa actuação de tecido vertical.

Com entrada livre, os visitantes do Casino Lisboa poderão assistir aos espectáculos de Pole Dance e de Novo Circo no Arena Lounge:
- Pole Dance | Sara e Raquel: 6 de Maio

- Novo Circo | Raquel Nicoletti: 20 de Maio


Por imperativo legal, o acesso aos espaços do Casino Lisboa é reservado a maiores de 18 anos.

sexta-feira, 28 de abril de 2017

Carlos de Oliveira na Colóquio/Letras Lançamento dia 6 maio, 16h, Museu do Neo-Realismo

No dia 6 de maio, às 16h, é lançado o novo número da revista Colóquio/Letras (Fundação Calouste Gulbenkian), em que o núcleo principal é dedicado ao escritor Carlos de Oliveira. O lançamento realiza-se no Museu do Neo-Realismo, em Vila Franca de Xira, onde está patente até 29 de outubro a exposição Carlos de Oliveira: a parte submersa do iceberg, com a apresentação do espólio de um dos grandes nomes da poesia e da prosa do século XX em Portugal.

No dossiê desta Colóquio/Letras sobre Carlos de Oliveira (1921-1981) são publicados cinco ensaios — da autoria de Osvaldo Manuel Silvestre, Rui Mateus, José Geraldo, Ricardo Namora e Clara Rowland — que exploram o espólio do autor de “Trabalho Poético”, “Finisterra Paisagem e Povoamento” e “Uma Abelha na Chuva” (romance a partir do qual Fernando Lopes realizou um filme que se tornou central no cinema português), apresentando novas perspetivas de abordagem e novos leitores.

São também publicados neste número da revista vários inéditos do escritor, uma primeira amostra dessa “parte submersa do iceberg” que é o seu espólio, e que permitem perceber o potencial de releitura crítica aí contido. Entre estes documentos contam-se duas cartas inéditas de Carlos de Oliveira, uma para Benjamin Abdala Junior e outra para Giulia Lanciani, de quem se publicam também neste número depoimentos, junto com os de Maria Lúcia Dal Farra, Baptista-Bastos e Gastão Cruz, partes de um diálogo intenso que a própria correspondência do autor regista.

Destacam-se ainda neste número de maio/agosto a entrevista ao poeta Adonis, oriundo do Médio Oriente, e as evocações de duas figuras recentemente desaparecidas: João Lobo Antunes, médico, humanista e homem de cultura, e da poeta suíça Anne Perrier.

Ilustrado com várias imagens de Ilda David, incluindo a capa, o número 195 da Colóquio/Letras será apresentado por Nuno Júdice, diretor da revista, e Osvaldo Manuel Silvestre, curador da exposição Carlos de Oliveira: a parte submersa do iceberg.

Mãe, Conte-me a sua História


Este livro é o princípio da conversa que sempre quiseste ter com a tua Mãe. Uma conversa íntima que te levará a conhecer melhor a história da pessoa mais importante da tua vida.

Como foi a infância da tua Mãe? Quais eram as suas paixões? Que grandes alegrias teve? Como foram os momentos mais marcantes da sua vida? Como foi o dia em que nasceste? E o que é que nunca te contou?

Espera pelo momento certo. Depois agarra numa caneta, pousa este livro no colo e senta-te diante da tua Mãe. Serás tu a entrevistá-la. Regista nestas páginas tudo o que souberes com as tuas perguntas nesses momentos únicos, irrepetíveis, mas que se prolongarão na eternidade. Guarda com carinho este livro escrito por ti. Irás transformá-lo num tesouro. Através dele, com a tua letra, a memória da tua Mãe chegará aos teus filhos e aos filhos deles. 

Pedro Tochas propõe “Descobrimentos” no Auditório do Casino Estoril

Considerado um dos melhores comediantes nacionais, Pedro Tochas propõe, nos próximos dias 19 e 20 de Maio, pelas 21h30, “Descobrimentos”. O mediático artista protagoniza uma dupla sessão de espectáculos no Auditório do Casino Estoril.

Ao longo da nossa vida não paramos de descobrir coisas sobre o mundo que nos rodeia e sobre nós próprios. Neste espectáculo, Pedro Tochas partilha o que descobriu e o que ainda quer descobrir.

Pequenas histórias, divagações e alucinações são a base deste espectáculo, uma mistura de stand-up comedy e contador de histórias.

“Descobrimentos” constitui uma boa oportunidade para rir com o que vai na alma deste descobridor. Trata-se de uma partilha de descobertas que mais parece uma conversa entre amigos.

Num registo informal, Pedro Tochas regressa, uma vez mais, ao Casino Estoril para apresentar, desta vez, “Descobrimentos”. O artista protagoniza dois espectáculos, a não perder, no Auditório.


Ficha técnica:

Autoria e Interpretação: Pedro Tochas

Produção e Design: Raquel Viegas

Pedro Tochas protagoniza “Descobrimentos” no Auditório do Casino Estoril. As actuações estão agendadas para 19 de 20 de Maio, às 21h30.

M/16. Preço: 15€ por pessoa.

segunda-feira, 10 de abril de 2017

Manual Básico de Costura Criativa, de Joana Nobre Garcia



Quantas vezes já teve que pedir à sua mãe que lhe cosesse os botões da roupa dos seus filhos, porque não sabe como fazê-lo, ou recorre a uma costureira para lhe tratar da bainha das calças? A máquina de costura que comprou está arrumada a um canto porque não faz ideia de como trabalhar com ela? E aquele tecido que era perfeito para as janelas da sua sala, mas que acabou por não comprar porque costurar uns cortinados lhe pareceu uma tarefa impossível?

Joana Nobre Garcia, autora do bestseller Costura-mania, apresenta este manual em que explica o bê-a-bá da costura em 51 lições – que vão do trabalho mais simples ao mais elaborado. Nestas páginas, poderá aprender a marcar e a cortar tecidos, a chulear, a rematar, a fazer bainhas e decotes e, num nível acima, a costurar capas de almofadas, cortinados e toalhas de mesa ou mesmo a criar uma manta em patchwork.

Depois é só pôr mãos à obra e começar a costurar – para si, para a sua família, para a sua casa e, quem sabe, para transformar este hobby num bom negócio. Aliás, não vá ser essa a sua ideia, a autora dá vários conselhos e pistas que têm como objetivo motivar as suas leitoras mais empreendedoras a levar a costura (ainda mais) a sério.

Se quiser experimentar – antes de investir numa máquina – apareça no dia 20 no atelier Rosapomposa. Vamos estar à sua espera!


Noite de Novo Circo com Jocka Carvalho no Arena Lounge do Casino Lisboa

O Casino Lisboa oferece, no próximo Sábado, 15 de Abril, outro surpreendente espectáculo de Novo Circo. Jocka Carvalho será o protagonista, a partir das 23 horas, no palco central do Arena Lounge. A entrada é livre.

Onde estão os limites do eu? Até onde posso ir através da imaginação? 

Estas são as demandas da alma de Jocka Carvalho, um jovem que se define pela procura do seu lugar de expressão e que já percorreu várias aéreas artísticas e desportivas, tendo sido atleta de alta competição, bailarino, artista de circo, coreógrafo.

Jocka Carvalho já se apresentou em grandes palcos mundiais, tendo desenvolvido intensamente os seus talentos nas artes circenses e dança. Está, actualmente, em digressão com Acts Circenses, uma fusão perfeita de circo, dança e acting! Jocka World is the Circus… let him be part of yours!

Com entrada livre, os visitantes do Casino Lisboa poderão assistir ao espectáculo de Jocka Carvalho no Arena Lounge:
- Jocka Carvalho | Straps: 15 de Abril

Quarta-feira, dia 12 de abril, às 23h00 na RTP2

















ESTREIA: GABO - A MAGIA DA REALIDADE



Documentário sobre Gabriel García Márquez, Prémio Nobel da Literatura de 1982.

Como é que um menino de uma pequena cidade na costa do Caribe se tornou um escritor que conquistou o coração de milhões? Como mudou a nossa perceção da realidade com o seu trabalho? As respostas estão na incrível história de Gabriel García Márquez, o Prémio Nobel de Literatura de 1982.

Gabriel García Márquez é um escritor de livros mundialmente célebres e aclamados pela crítica, como Amor em Tempos de Cólera e Cem Anos de Solidão, mas cresceu na pobreza e na violência do norte da Colômbia. Conhecido como "Gabo" em toda a América Latina, Gabriel García Márquez envolveu-se nas lutas políticas das décadas de 1970 e 1980, tendo tido um papel fundamental e desconhecido nas negociações entre o líder cubano Fidel Castro e o presidente americano Bill Clinton.

Em "Gabo - A Magia da Realidade" conhecemos um homem sensível e com magia na forma de lidar com as grandes problemas da América Latina. Neste documentário contamos com depoimentos de Bill Clinton, do ex-presidente colombiano César Gaviria, dos escritores Juan Gabriel Vásquez e Plinio Apuleyo Mendoza, dos jornalistas Enrique Santos, María Jimena Duzán e Xavi Ayén, da biógrafa Gerald Martin, da agente literária Carmen Balcells e dos irmãos Aída e Jaime García Márquez.

quarta-feira, 5 de abril de 2017

Fátima - das Visões dos Pastorinhos à Visão Cristã, de Carlos A. Moreira Azevedo

100 anos depois, Fátima mantém um notável impacto não só devido à autenticidade simples e infantil dos seus inícios, mas à capacidade que tiveram os mediadores dos factos e da mensagem, a começar pela própria Lúcia, dotada de uma vida longa.

Depois de uma importante consulta de material do Archivio Segreto Vaticano, D. Carlos A. Moreira Azevedo revela nestas páginas o processo da escolha do primeiro bispo da diocese de Leiria e traz à luz novos dados sobre a política portuguesa entre 1917 e 1930. Além dos videntes, fala-nos de personagens essenciais a Fátima, como o Padre Manuel Formigão e o Bispo D. José Correia da Silva. É, portanto, uma releitura crítica sobre o fenómeno das visões ocorridas na Cova da Iria há 100 anos, partindo da situação sociocultural de Portugal e da Europa e da realidade familiar e psicológica das personalidades envolvidas, que encontramos neste livro.

D. Carlos A. Moreira Azevedo coloca ao serviço do grande público uma leitura que une o conhecimento das fontes com uma visão cristã de um fenómeno religioso de origem popular, sucessivamente apropriado e relido, reinterpretado ao compasso da história e sempre aberto no horizonte do futuro.

terça-feira, 4 de abril de 2017

Casino Estoril acolhe Campeonato Nacional WABBA

O Auditório do Casino Estoril acolhe, no próximo Sábado, 8 de Abril, das 09h00 às 18h00, o Campeonato Nacional de Culturismo e Fitness. Trata-se de um mediático evento que resulta de uma organização conjunta da World Amateur Bodybuilding Association - WABBA Portugal e o Casino Estoril.

No Auditório do Casino Estoril desfilarão várias dezenas de atletas nas diferentes disciplinas da modalidade: Models; Bikini; Fitness; Physique; Wellness; Classico e Culturismo.

Recorde-se que, a WABBA foi criada pela lenda do culturismo Serge Nubret em 1975 após o Mr Olympia realizado em Pretória, ganho por Arnold Schwarzenegger. A partir desse momento, a WABBA rapidamente cresceu em popularidade para se tornar numa das maiores federações de culturismo mundial. Muitos campeões começaram a sua carreira na WABBA para se tornarem lendas neste desporto.

A WABBA está presente, actualmente, em muitos países de todos os continentes representando um importante papel no culturismo moderno.



Bilhetes à venda no site oficial da WABBA Portugal, www.wabbaportugal.pt através do mail wabbaportugal@gmail.com ou no facebook WABBA Portugal.

sábado, 1 de abril de 2017

Prémio Literário Revelação Agustina Bessa-Luís recebe candidaturas até 31 de Maio

No intuito de dinamizar a ficção portuguesa, a Estoril Sol instituiu, novamente, o Prémio Literário Revelação Agustina Bessa-Luís, em homenagem à grande escritora. É de registar que, desde o ano passado, foi abolido do seu Regulamento o limite dos 35 anos de idade, cláusula que o Júri considerou estar a condicionar o aparecimento de novos valores.

Com a abolição dessa norma considerada restritiva, a Estoril Sol vai ao encontro do desejo manifestado por numerosos candidatos ao concurso, que se viam impossibilitados de nele participarem. Mantém-se, contudo, a obrigatoriedade do romance concorrente ser inédito, e de autor português, “sem qualquer obra publicada no género”.

A 10ª edição do Prémio Literário Revelação Agustina Bessa-Luís terá o valor de 10 mil euros e, nos termos do Regulamento, será publicado pela Editora Gradiva, que mantém uma parceria com a Estoril Sol, desde o início deste projecto. O júri será presidido por Guilherme D `Oliveira Martins.

O Júri, além de Guilherme D`Oliveira Martins, que preside, em representação do CNC– Centro Nacional de Cultura, integra, ainda, José Manuel Mendes, pela Associação Portuguesa de Escritores; Maria Carlos Gil Loureiro, pela Direcção Geral do Livro e das Bibliotecas; Manuel Frias Martins, pela Associação Portuguesa dos Críticos Literários; e, ainda, Maria Alzira Seixo e Liberto Cruz, convidados a título individual e Nuno Lima de Carvalho e Dinis de Abreu, em representação da Estoril Sol.

Juntamente com o Prémio Literário Revelação, a Estoril Sol mantém o Prémio Literário Fernando Namora, instituído regularmente desde 1988, e a cujo Júri presidiu, durante vários anos, Agustina Bessa-Luís.

sexta-feira, 31 de março de 2017

Casino Estoril recebe no Lounge D o III TuNaPraia - Festival de Tunas Mistas do Estoril


O Casino Estoril acolhe, no próximo Sábado, 1 de Abril, a partir das 21h30, o III TuNaPraia - Festival de Tunas Mistas do Estoril. Trata-se de um espectáculo organizado pela Tunística – Tuna Mista da Escola Superior de Hotelaria e Turismo do Estoril.

Inspirada no tema “Disney”, a terceira edição do Festival reúne Tunas de diferentes cidades. O Lounge D recebe as seguintes Tunas a concurso:

- TAOD - Tuna Académica de Oliveira do Douro

- Olissippo - Tuna mista de Lisboa

- Desconcertuna - Tuna Mista da Faculdade de Psicologia e Ciências da Educação da Universidade de Coimbra

- Tuna ForTuna - Tuna Académica da Nova School of Business and Economics Tuna extra-concurso:

- Looney Tuna - Tuna Académica da Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação da Universidade do Porto.


O Casino Estoril convida, assim, os seus visitantes a assistir a um espectáculo repleto de animação no Lounge D. A entrada é livre.


Por imperativo legal, o acesso aos espaços do Casino Estoril é reservado a maioresde 18 anos.

MINISTÉRIO DO TEMPO




“Ministério do Tempo” leva-nos numa viagem pelos quase nove séculos da História de Portugal. As figuras que mais marcaram o nosso país cruzam-se em encontros insólitos e originais, viajando entre várias épocas, criando enredos inesperados e vivendo situações fantásticas. Uma emocionante história repleta de aventuras para acompanhar à segunda-feira, pelas 21h00, na RTP1.



No próximo episódio, intitulado de “Tempo de Magia”, viajamos por 1924 e 2016.

Amélia, no seu desespero para reencontrar Tiago, recorre a sessões de espiritismo. Mas tudo o que consegue saber, é que um misterioso mágico se vai cruzar na sua vida.

Salvador convoca a patrulha para mais uma missão. Há fortes suspeitas que um agente do Ministério, a trabalhar no ano de 1924, está prestes a oferecer os seus serviços ao FBI. Esse agente, Joaquim de Sena, é conhecido por uma particularidade difícil de acreditar: possui visão de raio x.

Amélia e Afonso têm que investigar o caso e, se as suspeitas forem verdadeiras, impedir a traição. Pacino é impedido de ir na missão, pois o agente Joaquim conhece-o, já que lhe deu treino aquando da sua entrada para o Ministério do Tempo. Mais uma vez, Amélia e Afonso recebem o reforço de Camões.

Amélia, Camões e Afonso partem para Lisboa, no ano de 1924. Vão assistir a uma sessão de espiritismo organizada pelo pai de Joaquim, Adolfo. Ao chegarem ao local da sessão, deparam-se com uma charlatã. Camões, usando todo o seu lado teatral, põe a descoberto toda a verdade sobre a falsa vidente e assim ganhar a confiança de Joaquim e Adolfo. Em conversa, Joaquim revela que está de partida para Nova Iorque. Vai encontrar-se com o grande Houdini. Amélia, arguta, diz que eles também estão de partida para a grande metrópole.

A patrulha regressa ao Ministério do Tempo, e a 2016, para preparar a viagem aos Estados Unidos. Quando estão a regressar às portas do Tempo, Amélia sofre um pequeno acidente que a impede de ir na missão. Afonso e Camões não têm outro remédio se não ir sozinhos.

Ao chegarem a Nova Iorque, Camões instala-se no mesmo hotel de Joaquim. O objetivo é vigiá-lo de perto. Afonso fica encarregue da segurança e da logística.

Afonso e Camões estão tão concentrados em Joaquim que não reparam que Mafalda Torres está em Nova Iorque. Acompanhada pelos membros mais perigosos da Companhia: Ferguson e Bennet. O objetivo da Companhia é simples. Impedir, a todo o custo, que o FBI saiba da possibilidade de viajar no tempo.

Joaquim encontra-se em segredo com J. Edgar Houver, num bar clandestino. Ou pelo menos assim o pensa pois, quando menos espera, Camões surpreende-o. Joaquim, confiando em Camões e nos poderes mágicos que este alega ter, conta o seu plano. Quer revelar ao FBI a existência das portas do tempo.

Camões e Afonso sabem que têm que impedir Joaquim de trair o Ministério do Tempo. Planeiam raptá-lo. Mas a Companhia tem outros planos. Sem o saberem, Afonso e Camões têm a sua vida nas mãos daquela que pensam ser a sua maior inimiga: Mafalda Torres.

quarta-feira, 22 de março de 2017

Estoril Sol relança Prémios Literários em homenagem a Agustina Bessa-Luís e a Fernando Namora


Abolido o limite de idade para o Prémio Revelação

 A Estoril Sol volta a instituir, este ano, o Prémio Literário Revelação Agustina Bessa- Luís e o Prémio Literário Fernando Namora, em homenagem aos dois grandes escritores de Língua Portuguesa. Em relação ao Prémio Revelação, é de registar que, desde o ano passado, foi abolido do seu Regulamento o limite dos 35 anos de idade, cláusula que o Júri considerou estar a condicionar o aparecimento de novos valores.

Com a extinção dessa norma considerada restritiva, a Estoril Sol corresponde, assim, aos pedidos manifestados por numerosos candidatos que estavam impossibilitados de participar no concurso.

Mantém-se, contudo, a obrigatoriedade do romance concorrente ser inédito, e de autor português, “sem qualquer obra publicada no género”.

A 10ª edição do Prémio Revelação Agustina Bessa-Luís terá o valor de 10 mil euros e, nos termos do Regulamento, será publicado pela Editora Gradiva, de acordo com o protocolo existente com a Estoril Sol.

Guilherme D `Oliveira Martins preside ao júri, comum aos dois Prémios Literários da Estoril Sol, uma das mais prestigiadas iniciativas que integram o calendário de eventos com relevância cultural.

Juntamente com o Prémio Literário Revelação, é mantido o Prémio Literário Fernando Namora, instituído regularmente desde 1988, e cujo Júri foi presidido, durante vários anos, por Agustina Bessa-Luís e, posteriormente, por Vasco Graça Moura.

O Prémio Literário Fernando Namora, reservado a romances publicados, e com periodicidade anual, tem o valor de 15 mil euros. Recorde-se que foi Afonso Cruz, com o seu romance Flores, o vencedor no ano passado.


O Júri, além de Guilherme D`Oliveira Martins, que preside, em representação do CNC


– Centro Nacional de Cultura, integra, ainda, José Manuel Mendes, pela Associação Portuguesa de Escritores; Maria Carlos Gil Loureiro, pela Direcção Geral do Livro e das Bibliotecas; Manuel Frias Martins, pela Associação Portuguesa dos Críticos Literários; e, ainda, Maria Alzira Seixo e Liberto Cruz, convidados a título individual e Nuno Lima de Carvalho e Dinis de Abreu, em representação da Estoril Sol.


Entretanto, expira a 31 de Maio o prazo de recepção das obras originais para a 10ª edição do Prémio Literário Revelação Agustina Bessa-Luís e dos romances publicados para a 20ª edição do Prémio Literário Fernando Namora.

terça-feira, 21 de março de 2017

RTP AÇORES COM NÚCLEO MUSEOLÓGICO ESTE ANO EM PONTA DELGADA




A RTP Açores vai instalar um núcleo museológico sobre história dos serviços públicos regionais de rádio e televisão nas instalações remodeladas do Centro Regional, em Ponta Delgada.

Este espaço terá uma exposição permanente com a retrospetiva dos principais acontecimentos da empresa e da região desde a inauguração do Emissor Regional dos Açores da Emissora Nacional em 1941 e da instalação do Centro Regional dos Açores da RTP, em 1975.

O Núcleo Museológico da RTP Açores será instalado com recurso a novas tecnologias, apresentando uma componente virtual que apela à realização de visitas de caráter interativo. Este núcleo museológico será acessível à população em geral e às escolas, em especial.

A sua abertura ocorrerá durante o segundo semestre deste ano, por ocasião da instalação conjunta dos serviços de rádio e de televisão no edifício da Rua Castelo Branco, em Ponta Delgada, que se encontra agora em fase final de obras de remodelação.

Os visitantes do futuro núcleo museológico poderão percorrer, cronologicamente, os momentos mais marcantes da evolução da rádio e da televisão públicas nos Açores e, ao mesmo tempo, recordar os principais acontecimentos açorianos das últimas décadas em todas as ilhas.

As visitas presidenciais de Óscar Carmona (1941) e de Craveiro Lopes (1957), a erupção do Vulcão dos Capelinhos (1958) e a assinatura do Acordo da Base das Lajes (1963) são alguns dos conteúdos previstos, tal como a cimeira dos presidentes Nixon e Pompidou na ilha Terceira (1971), a manifestação popular do 6 de junho em Ponta Delgada (1975) e a criação do Instituto Universitário dos Açores (1976).

O discurso museológico percorrerá igualmente, entre outros acontecimentos, a instalação da Assembleia Regional e do Governo dos Açores (1976), o sismo de 1 de janeiro nas ilhas Terceira, Graciosa e S. Jorge (1980) e a entrada da Região na Comunidade Económica Europeia (1985), bem como a visita do Papa João Paulo II aos Açores (1991), a subida do Santa Clara à Primeira Divisão (1999) ou a Cimeira das Lajes com George Bush, Tony Blair e José Maria Aznar (2003).